A Semana do Médico Veterinário debateu, no terceiro dia de palestras, a legislação, regulamentação da profissão e possibilidades de mercado para o médico veterinário, que pretenda seguir a carreira de responsável técnico (RT). Ao longo da manhã da quinta-feira (13), os palestrantes abordaram as questões de ética, normas dos locais e regulamentação da atuação deste profissional em Pernambuco, com um auditório lotado de profissionais e universitários.
Durval Baraúna, da UNIVASF, apresentou em sua palestra as leis e resoluções do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV). A legislação orienta o responsável técnico e estabelece normas para o profissional durante o trabalho de RT, desde as questões éticas até as penas cabíveis aquele que descumprir o que está previsto em lei.
“Existem poucos profissionais na área de RT e temos novas possibilidades de mercado em auditoria, certificação, além de médico de animais silvestres e de laboratório. Os órgãos precisam deste elo com o RT, que tem o dever de denunciar ao CRMV e Adagro quando os donos das lojas não cumprirem as normas”, disse Durval.
Ao final da manhã Durval complementou o assunto tratando exclusivamente do trabalho de RT em hospitais e clínicas. Segundo ele, os hospitais e clínicas com internamento precisam “garantir que haja médico veterinário disponível em tempo integral. No caso de Pet Shop, o acesso do comércio de produtos de uma loja tem de ser independente do local de tratamento dos animais”, alertou Durval.
“O mercado tem escassez de bons profissionais”, disse Alessandra Alencar, fiscal da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro), em sua palestra sobre como fiscalizar os entrepostos de carnes e supermercados. Segundo ela, Pernambuco é um dos poucos estados a regulamentar um entreposto por meio de portaria. Esta garante qualidade de todo o processo desde o recebimento das peças de carne, no local, até a embalagem para comercialização. Também fiscal da Adagro, Kalina Monteiro complementou o assunto descrevendo as atribuições a serem seguidas pelo RT ao fiscalizar entrespostos, no início da tarde.
O especialista em qualificar atuns César da Nóbrega, em sua palestra, na parte da tarde, abordou toda a fiscalização e o trabalho de RT na cadeia produtiva de peixes, especialmente o atum. Apresentou desde os métodos de pesca, passando pela qualidade do armazenamento e transporte, até a chegada na indústria e a comercialização final. “Quero dizer que são poucos profissionais de RT com atuação no setor de pescados” concluiu César, que veio da Paraíba especialmente para participar do evento.
As palestras da quinta-feira lotaram o auditório, com um quórum de aproximadamente 180 pessoas.
Vindo também de outro estado, o Dr. André de Mattos Faro, do Instituto Federal Catarinense, fechou a noite desta quinta-feira (13) com a palestra sobre câncer em animais animais domésticos, promovida pela  Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais de Pernambuco (Anclivepa-PE).