Chegou ao conhecimento do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco (CRMV-PE) e de todo o Sistema CFMV/CRMVs a divulgação da venda de máscaras protetoras e testes laboratoriais de detecção do novo coronavírus (SARS-Cov-2) em amostras de animais de companhia, os pets.
Iniciativas como essa alarmam e tentam obter vantagens de tutores de cães, gatos e outros animais de estimação, pois, não há nenhuma indicação da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e outros órgãos oficiais no Brasil e no mundo para que os animais domésticos sejam testados, visto que eles não são transmissores da Covid-19.
Por isso, o CRMV-PE alerta que o estímulo à coleta e envio de amostras com essa finalidade é um desserviço ao trabalho que vem sendo realizado na tentativa de conscientizar a população sobre o controle e prevenção da disseminação do novo Coronavírus.
Desde o agravamento da pandemia no Brasil, os médicos-veterinários, sobretudo os que atuam em clínicas veterinárias de animais de companhia, vêm trabalhando arduamente para esclarecer a população sobre a não transmissão da Covid-19 pelos pets, evitando assim o abandono de animais em grande escala, algo que pode se tornar um grave problema à saúde pública. Também preocupada com essas consequências em um momento em que a população se encontra fragilizada pelas medidas de mitigação da pandemia, a Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais (Anclivepa Brasil) publicou um alerta a associados e à população.
O CRMV-PE reforça o alerta: além de não recomendadas, a venda de testes para o novo coronavírus e máscaras para pets podem constituir infração ética, passível de punição.
“A pandemia trouxe muitas inseguranças à população. E nesse momento, de medos e apreensão, muitos querem ajudar, mas há também os que querem tirar proveito da situação. Com base nas evidências científicas que temos, não há sentido fazer exame para saber se os animais estão ou não com Covid-19. A transmissão de pets para humanos é rara e pontual no mundo inteiro. Nada que justifique os exames. Ressalto, esses testes são epidemiologicamente desnecessários”, explica o médico-veterinário Marcelo Teixeira, presidente do CRMV-PE.
Com informações da Assessoria de Comunicação do CFMV e CRMV-RJ